O Tema da festa dos tabernáculos para este tempo: Jerusalém louvor em toda a terra(Jerusalem, a praise in the Earth) O objetivo da festa para a igreja hoje é renovar a esperança na fidelidade do Senhor e lembrar que Deus é o supridor de nossas vidas. Ele nos formou e nos abençoou para andarmos debaixo de sua fidelidade em santidade e amor. Como igreja não poderemos jamais esquecer que o Senhor é o mesmo de ontem, quando cuidou do povo de ISRAEL no deserto, suprindo as necessidades físicas, alimentando-os, vestindo-os e protegendo do frio da noite e do calor do dia, assim como também os calçou para que os pés deles pudessem caminhar protegidos e em segurança. É sabermos que o Senhor proporciona para nós momentos em nossas vidas que a glória dEle é revelada de maneira sobrenatural, pois Deus é Pai e amigo. Veja que Israel viveu experiências de amor e proteção, mesmo na infidelidade, o Senhor se manteve fiel a Palavra liberada a respeito daquele povo. “O Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumia... Nunca se apartou do povo...”.(Ex13:21-22) Saiba irmão que o caminho pode ser difícil, mas é nele que Deus vai se fazer presente. As temperaturas em um deserto são contrastantes. Por exemplo, no deserto do Saara (África), durante o dia a temperatura pode variar entre 50° a 80° C. Durante a noite a temperatura cai tanto que pode chegar até 0° C. Pense só, Deus estava não só conduzindo o seu povo pelo deserto, mas também protegendo-o. A nuvem durante o dia protegia o povo do sol e das altas temperaturas, enquanto que o fogo a noite garantia calor e os protegia das baixas temperaturas. Vê? Este é o Deus que governa a sua vida. Ele pensa emtudooooooo! Tabernáculo também é festa de gratidão e de memorial eterno. Veja: SIGNIFICADO HISTÓRICO “Disse mais o Senhor a Moisés: Fala aos filhos de Israel, dizendo: Aos quinze dias deste mês sétimo será a Festa dos Tabernáculos ao Senhor, por sete dias. Ao primeiro dia haverá santa convocação: nenhuma obra servil fareis. Sete dias oferecereis oferta queimada ao Senhor; no dia oitavo tereis santa convocação, e oferecereis ofertas queimadas ao Senhor: é reunião solene, nenhuma obra servil fareis. São estas as festas fixas do Senhor, que proclamareis para santas convocações, para oferecer ao Senhor oferta queimada, holocausto e oferta de manjares, sacrifícios e libações, cada qual em seu dia próprio; além dos sábados do Senhor, e das vossas dádivas, e de todos os vossos votos, e de todas as vossas ofertas voluntárias que dareis ao Senhor. Porém aos quinze dias do mês sétimo, quando tiverdes recolhido os produtos da terra, celebrareis a festa do Senhor por sete dias; ao primeiro dia, e também ao oitavo. haverá descanso solene. No primeiro dia tomareis para vós outros frutos de árvores formosas, ramos de palmeiras, ramos de árvores frondosas, e salgueiros de ribeiras; e, por sete dias, vos alegrareis perante o Senhor, vosso Deus. Celebrareis esta como festa ao Senhor por sete dias cada ano; é estatuto perpétuo pelas vossas gerações ; no mês sétimo a celebrareis. Sete dias habitareis em tendas de ramos; todos os naturais em Israel habitarão em tendas; para que saibam que eu fiz habitar os filhos de Israel em tendas, quando os tirei da terra do Egito: Eu sou o Senhor vosso Deus.”(Levítico 23.33,43) Tabernáculo é gratidão e fé! A Festa dos Tabernáculos tinha dois aspectos distintos na época do Templo. Uma parte da festa era consagrada ao louvor e ações de graça. O toque das trombetas convocava o povo, que se prostrava nas ruas para assistir à marcha dos sacerdotes que iam ao tanque de Siloé, enchiam uma vasilha de prata de água e depois rumavam para o templo e a derramavam no altar. Era um cortejo glorioso de sacerdotes vestidos de branco, instrumentos musicais e corais. Os levitas se faziam acompanhar por músicos em instrumentos de corda, sopro e percussão durante a recitação dos Salmos 113 a 118- especialmente as palavras messiânicas do Salmo 118, versos 25 e 26: “Ó Senhor, salva, Te pedimos! Ó Senhor, nós te pedimos, envia-nos a prosperidade. Bendito aquele que vem em nome do Senhor”. Esse ritual de derramamento de água simbolizava ações de graça pela chuva que possibilitou a colheita do ano. Orações por mais chuva eram feitas para possibilitar a colheita da próxima estação. Por isso ela simbolizava gratidão pela colheita, por ser originalmente uma festa agrícola, assim como a Páscoa e Pentecoste. Apesar disso Deus lhe atribui um significado histórico: a lembrança da peregrinação pelo deserto e o sustento pelo Senhor. A fragilidade das tendas que o povo construía era uma lembrança da fragilidade do povo quando peregrinou os 40 anos no deserto a caminho da Terra Prometida. A palavra “tabernáculo” origina-se da palavra latina tabernaculum que significa uma cabana, um abrigo temporário.No original hebraico a palavra equivalente é sukka, cujo plural é sukkot. Esse ritual simbolizava também a alegria espiritual e a salvação. A cada dia, durante o período da Festa, os sacerdotes rodeavam o grande altar de sacrifícios, uma vez, agitando suas palmeiras em todas as direções. Os ramos eram seguros juntos na mão direita, e a cidra, na mão esquerda. No sétimo dia, chamado “HoshanaRabbah” que significa “A grande Salvação”, os sacerdotes rodeavam o altar sete vezes, recitando o Salmo 118. Durante os sete dias de Sukkot, o grande altar de sacrifício recebia um número de sacrifício maior do que em qualquer outra festa: 70 novilhos, 14 carneiros, 98 cordeiros e 7 bodes (Números 29.12-34). Em relação aos 70 novilhos o Talmud ensina que as setenta nações do mundo são representadas nas ofertas de expiação de Israel. O segundo ponto alto das comemorações eram os festejos. À noite, as multidões festejavam com banquetes e ainda cantavam e caminhavam pelas ruas portando tochas. Eram também colocadas tochas que iluminavam o átrio do Templo. Nesses momentos demonstravam sua gratidão a Deus desfrutando as boas coisas da vida e o prazer de gozarem a companhia uns dos outros. É nesse espírito de gratidão que iremos celebrar a Festa dos Tabernáculos em Marabá. Gratidão por mais um ano de provisão e proteção. Faremos exatamente como Senhor direcionou: CELEBRAREMOS COM GRATIDÃO E OFERTAS. Traremos tanto as ofertas espirituais, os frutos colhidos durante o ano de 2009 até este tempo de 2010, que são as vidas na célula já consolidadas para agradecer e celebrar por eles, como também as nossas ofertas financeiras em gratidão e como sementes para o ano que marca este tempo. A festa este ano será celebrada por ajuntamento de células onde irão fazer o fruto fiel.